logo

DPOC.PT

Nós nas redes sociais...
Tratamento no domicílio
Tratamento no domicílio
Top

Nem todos os doentes que apresentam uma exacerbação de DPOC necessitam de internamento. De fato, uma grande parte dos doentes com o diagnóstico de exacerbação de DPOC que recorrem ao serviço de urgência dos hospitais ou centro de saúde têm alta para casa.

Em seguida, um pequeno resumo sobre as opções terapêuticas para os doentes que têm alta para o domicilio:

.

Educação do doente

– Deve-se confirmar que o doente faz uma boa técnica inalaria, pedindo-lhe para exemplificar, pois esta é uma das principais razões da má adesão à terapêutica habitual, o que leva a uma exacerbação.

– Em pacientes mais idosos ou com algumas dificuldades, pode ser útil um espaçador, sendo necessário um débito inspiratório muito menor.

.

Terapêutica médica

– Otimização da terapêutica habitual. Em muitos casos pode ser adicionado um corticoide inalado, que atua como anti-inflamatório. O médico deve considerar a inclusão na terapêutica habitual de um broncodilatador de longa ação.

– Muitos doentes têm também indicação para corticoide oral durante 5-10 dias.

– Se existir alguma alteração no aspeto das secreções habituais ou outro sinal clinico/analítico de infeção, pode lhe ser prescrito um antibiótico, para combater a infeção.

– Pode também ser necessário tratamento com oxigénio. Inicialmente o doente leva prescrição para 1-3 meses, sendo reavaliado posteriormente para decisão sobre continuação ou suspensão. Muitos doentes após este período podem cessar esta terapêutica.

Para saber com mais detalhe

.

Reavaliação

Estes doentes devem ser reavaliados a curto-médio prazo, se possível com reavaliação imagiológico (Radiografia do Tórax) e posteriormente com realização de provas de função respiratória (espirometria/pletismografia).

Deve ser otimizada a terapêutica habitual, reforçar os cuidados, avaliar os métodos de prevenção, entre outros.