A opinião do especialista – Como escolhemos o melhor inalador para si?

Existem vários inaladores e várias substâncias broncodilatadoras inaladas. Neste pequeno artigo não nos vamos focar na escolha das substâncias, mas sim no melhor dispositivo (inalador) para o doente. Não existe nenhum com vantagem universal, havendo várias opções adequadas para vários tipos de pessoas. O inalador X pode ser o melhor para si, mas o inalador Y o melhor para outra pessoa.

Normalmente o seu médico tem em atenção os seguintes aspetos:

  • Conveniência: Alguns inaladores são pequenos, de modo a caber numa mala ou no bolso e são rápidos e fáceis de usar. Alguns são pressurizados ou outros de pó seco. Algumas pessoas preferem sentir o medicamento a sair com a pressão, enquanto outros dão-se melhor com os últimos. Neste último grupo, alguns têm sabor enquanto outros não apresentam qualquer sabor. Muitas vezes não se acerta à primeira.
  • A sua idade: Apesar de serem dispositivos fáceis de usar, alguns doentes mais idosos têm dificuldade na utilização de inaladores pressurizados ou então com inaladores de pó seco que necessitem de vários passos para serem ativados. O primeiro problema pode ser ultrapassado com o recurso a uma Câmara expansora. Nos últimos anos foi desenvolvido um inalador com dispersão em forma de névoa (soft-mist) que algumas destas pessoas preferem.

  • Coordenação mão-pulmão: Alguns dispositivos, em particular os pressurizados, requerem que exista uma coordenação entre a mão (ativar a dose) e o pulmão (inspirar na altura certa). Para algumas pessoas, como os mais velhos, com tremores, ou com défices neurológicos, isto pode ser difícil.
  • Efeitos adversos: Alguns dos inaladores levam a maior deposição do fármaco na parte de trás da garganta, o que incomoda alguns doentes. Isto também pode ser contrariado com o recurso de uma Câmara expansora. Isto é particularmente importante se estiver a fazer corticoide inalado, uma vez que a sua acumulação pode favorecer o desenvolvimento de uma lesão fúngica.
  • Preço: Existem inaladores mais baratos do que outros. Em alguns casos, as pessoas podem ter grandes carências económicas e pode ser preferível optar pelo mais barato e ter a certeza de que a pessoa o vai comprar, do que optar por um outro mais caro e depois a pessoa não o usar.
  • Número de aplicações por dia: Alguns inaladores contêm fármacos que precisam de ser feitos 2x por dia enquanto outros apenas uma vez. Pessoas com queixas ao longo do dia e noite podem preferir realizar uma inalação duas vezes por dia, enquanto outros preferem ser menos sobrecarregados, uma vez que já fazem muitos outros medicamentos ou então são mais distraídos ou ocupados, e não têm tanta disponibilidade de tempo.

A escolha do inalador deve basear-se nestes critérios, mas também na experiência do médico e do doente, e deve ser testado o seu uso ainda durante a consulta. A maioria dos médicos têm consigo uma gama de dispositivos prontos para demonstrar, e permitem que tenha uma primeira experiência com eles – o ensino adequado do seu uso é importantíssimo para que o tratamento tenha sucesso.

Em conclusão, o melhor inalador é aquele que conseguir realizar eficazmente, sem dificuldade e regularmente.

Se não está satisfeito com o inalador que tem em casa, procure o seu médico e juntos podem resolver esse problema.

 

Dra. Carla Valente

Serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (Aveiro)