Eu tenho DPOC, posso beber bebidas alcoólicas?

O Álcool e a DPOC

Com a prevalência da Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) a aumentar, muitas pessoas são confrontadas com a necessidade de reavaliar o seu estilo de vida e fazer algumas modificações nos seus hábitos. Uma das questões mais perguntadas é “O álcool piora a DPOC?”.

Não existe muita informação sobre este tema, sendo que a principal explicação para este desconhecimento é o facto de que não tem havido muita investigação sobre os efeitos do álcool na função e na estrutura pulmonar.

Como sabemos, a DPOC é causada principalmente pelo tabagismo, mas como muitas vezes o consumo das duas substâncias está associado é difícil determinar qual destes factores pode levar a agudizações da doença. Os especialistas concordam que é necessário mais estudos sobre este problema.

Enquanto não existem avaliações mais detalhadas, alguns investigadores já abordaram esta situação. Apresentamos um estudo publicado pela revista CHEST cujos resultados revelaram que as pessoas com DPOC que afirmaram já ter tido uma “bebedeira” (os autores definiram-na como o consumo de mais de 6 bebidas) apresentavam maior probabilidade de já ter tido pelo menos uma exacerbação. No entanto, quando os resultados do grupo foram ajustados para o consumo de tabaco, os que eram não-fumadores não apresentaram uma subida na frequência das queixas respiratórias.

Na literatura médica são apontados alguns efeitos previsíveis do álcool no pulmão. Por exemplo, a glutationa é um antioxidante encontrado nos pulmões e o consumo de  álcool reduz os níveis de glutationa. Esta diminuição pode agravar os sintomas da DPOC ou conduzir a uma exacerbação.

O consumo de álcool também está associado a maior diminuição da função pulmonar, nomeadamente em pessoas com doença pulmonar crónica. O álcool também pode diminuir a capacidade de limpar o muco das vias aéreas. Isto resulta em agravamento da tosse e promove o acumular de secreções e o agravamento da DPOC.

As bebidas alcoólicas interferem com diversos medicamentos usados na DPOC, incluindo os corticóides e os antibióticos, o que pode atrasar a recuperação de uma agudização.

Em conclusão, não existe evidência suficiente para se afirmar que o álcool prejudica diretamente a DPOC, no entanto, pode contribuir para o agravamento dos sintomas em certas pessoas.

Não vamos dizer para deixar de beber um copo de vinho de vez em quando, ou uma cerveja ao fim de semana na praia, mas continua a recomendar-se moderação. De qualquer modo, se estiver a fazer tratamento de uma exacerbação a abstinência alcoólica deve ser absoluta.