Porque está a aumentar a DPOC nas mulheres?

A DPOC, o tabaco e o sexo feminino

A American Lung Association recentemente debruçou-se sobre o impacto da DPOC nas mulheres.

Fumar é a principal causa da DPOC. Como a maioria das pessoas com DPOC está ou já esteve ligada ao tabagismo, esta foi, durante muitos anos, considerada uma doença em homens brancos mais velhos. No entanto, as mulheres começaram a fumar e deixou de ser uma doença masculina.

O número de mortes entre as mulheres da DPOC mais do que quadruplicou desde 1980 e, desde 2000, a doença ceifou a vida de mais mulheres do que homens neste país a cada ano.

Nos dias de hoje mais de 7 milhões de mulheres nos EUA têm DPOC, e outras milhões têm sintomas, mas ainda precisam ser diagnosticadas. As mulheres têm taxas mais altas de DPOC do que os homens em geral, embora pareçam estar especialmente vulneráveis ​​antes dos 65 anos.

As mulheres com DPOC vivem a doença de forma diferente do que os homens. Esta doença traz consigo um fardo pesado para os doentes e familiares. Muitas vezes, significa vários anos de saúde precária, perda de produtividade e enormes despesas com a sua saúde.

As mulheres com DPOC apresentam agudizações mais frequentes. Estas exacerbações podem exigir cuidados urgentes ou visitas frequentes ao médico assistente e, às vezes, exigem hospitalização. Cada episódio acelera a perda progressiva da capacidade respiratória, resultando em incapacidade e morte a longo prazo.

 

O papel do tabaco

O aumento da DPOC nas mulheres está intimamente ligado ao sucesso da segmentação da indústria do tabaco. O tabagismo era raro entre as mulheres no início do século 20, mas começou a aumentar no final da década de 1920. O principal fator foi a Lucky Strike ter desenhado uma campanha direccionada para as mulheres.

Em 1968, a Philip Morris introduziu o Virginia Slims, o primeiro cigarro criado especificamente para mulheres. Em 1973, menos de seis anos após a introdução do Virginia Slims, a taxa de meninas de 12 anos que haviam começado a fumar aumentou em 110%.

Desde aquela época, as campanhas anti-tabagismo em todo o país e as mudanças nas políticas diminuíram com sucesso as taxas de tabagismo para mulheres e homens. Mas, infelizmente, os anúncios de TV antigos que declararam às mulheres “você tem seu próprio cigarro agora” ainda são responsáveis por novos casos de DPOC e outras doenças relacionadas ao tabaco nessas mulheres à medida que vão envelhecendo.

Report da ALA