Doentes com DPOC dão prioridade a informações online sobre o controlo dos seus sintomas

A existência de um bom conhecimento sobre uma doença crónica, como é o caso da DPOC, pode ajudar as pessoas com a doença a participarem mais e melhor na autogestão da doença. O objetivo é aumentar o controlo dos sintomas da doença e impedir o seu agravamento. Uma boa educação sobre a doença permite também a essas pessoas viver bastante melhor com a DPOC.

As pessoas com DPOC ainda consideram os profissionais de saúde como a fonte principal de informações sobre a sua doença. No entanto, os resultados de um estudo revelaram que cerca de um terço das pessoas refere recorrer frequentemente a informações disponíveis na Internet. O que pretendiam era aprender mais sobre o controlo dos seus sintomas.

Um dos motivos mais referidos para explicar estes resultados foi o facto das consultas médicas atualmente apresentarem uma duração muito reduzida, o que por vezes limita uma abordagem mais completa ao doente.

Os resultados deste estudo, realizado com 445 doentes com DPOC, revelou que a procura da informação online na DPOC concentrou-se em duas áreas – informações específicas sobre a DPOC, seguida de dados sobre opções e resultados dos diversos tratamentos existentes. Os doentes deram também valor a informações sobre o “controlo dos sintomas”, “como a DPOC afeta o meu corpo” e “tratamentos que resultam”.

Os resultados deste estudo são sobreponíveis aos de um estudo realizado em 2016 no DPOC.PT e apresentado na conferência mundial do CHEST, realizada na Suíça.