DPOC e viagens de avião

Se necessita de oxigénio de forma contínua pode pensar que isso o impossibilita de realizar viagens de avião
Com o devido planeamento, pode ser possível organizar-se de forma a conseguir realizar com toda a segurança a viagem pretendida, sejam férias ou uma deslocação em negócios.
A DPOC não o deve impedir de viajar!

Antes de mais, alguns pontos importantes:

– O oxigénio líquido está completamente proibido.

– A maior parte das companhias não permite o transporte do seu próprio concentrador de oxigénio portátil, excluindo se o seu modelo for um dos atualmente aceites.

– É necessário fazer um pré-aviso de pelo menos 48 horas às companhias aéreas.

– Deverá sempre contatar o seu médico e também a companhia aérea, antes da reserva.

.

Companhias aéreas que voam a partir de Portugal

É preferível que o passageiro viaje acompanhado por alguém que o saiba administrar, preferencialmente um médico ou enfermeiro. Poderá viajar desacompanhado caso o possa administrar pessoalmente e desde que haja prévia autorização dos serviços médicos. Não é permitida a utilização de oxigénio trazida pelo passageiro e nunca será possível a administração de oxigénio pelos tripulantes.

A TAP dispõe de 2 tipos de garrafas: grande: 3lts/min / 7lts/min; pequena 2lts/min / 4lts/min. Todas as garrafas são fornecidas com uma máscara incorporada de tamanho único.

Os passageiros que necessitem de transportar um concentrador de Oxigénio ou um CPAP (para tratamento da apneia do sono), poderão fazê-lo a bordo dos voos TAP.

Se precisa de fazer oxigénio durante um voo deve preencher os formulários médicos que são disponibilizados no site da empresa. Além disso, uma vez que o cilindro de oxigénio que será usado deve ser adequado para o uso em avião, a pessoa deve trazer documentação que ateste que está certificado para uso durante a viagem.

Para orientações precisas sobre este assunto, entre em contato com o Departamento de Reservas (tel. +30 210 62 61 000).

A Aer Lingus disponibiliza oxigénio a bordo por um custo adicional de €100 / £ 90 /140 dólares por viagem. Apenas uma solicitação pode ser acomodada por voo, com as seguintes exceções:

– Viagens em avião modelo Boeing 757 apresentam limitação de fluxo máximo de 2 L.

– Os passageiros não podem trazer o seu próprio equipamento fornecedor de oxigénio a bordo ou como bagagem de porão.

O transporte de concentradores de oxigénio pelos passageiros usando um concentrador portátil para fins médicos é fornecido gratuitamente, além da franquia de bagagem gratuita.
O transporte aéreo é emitido após o pedido ter sido confirmado.
O transporte aéreo de concentradores portáteis de oxigénio deve ser solicitado o mais tardar 36 horas antes do horário de partida especificado no cronograma.

Por favor especifique:
Fabricante e modelo *;
Tipo de pilhas descartáveis ou recarregáveis utilizadas;
Necessidade de uso permanente ou temporário.

Concentradores aceites:

  • LifeStyle; FreeStyle; FreeStyle5; Focus (AS078)
  • Delphi RS-00400
  • iGo
  • Inogen One; Inogen One G2; Inogen One G3
  • LifeChoice, LifeChoice Activox
  • International Biophysics LifeChoice
  • Invacare XPO2; SOLO2
  • Oxlife Independence Oxygen Concentrator
  • Oxus RS-00400
  • Easy Pulse
  • Evergo; Simply Go
  • Eclipse; SAROS

Os passageiros, que por razões médicas graves, precisam de usar obrigatoriamente um cilindro de oxigénio devem estar acompanhados por pessoal médico.
O transporte aéreo é emitido após o pedido ter sido confirmado.
O transporte aéreo dos cilindros deve ser solicitado o mais tardar 72 horas antes da hora de partida especificada no bilhete.

Por favor especifique:
O número de pessoas acompanhantes (equipe médica);
O número de cilindros junto com a documentação técnica que indica a data de fabricação e o último exame técnico;

ATENÇÃO!
O peso bruto de cada cilindro não deve exceder 5 kg.
A companhia aérea não fornece cilindros de oxigénio.

A Air France pode disponibilizar oxigénio com fim terapêutico: esse serviço é pago e deve obrigatoriamente efectuar o pedido aquando da sua reserva, até 48 horas antes da sua partida. Este serviço está disponível por uma taxa de €300 por voo (longa distância) e e um custo de €200 por voo continental.

Nota: esse serviço pode não estar disponível à partida em determinadas escalas ou em determinados voos. Para consultar a sua disponibilidade, contate o serviço SAPHIR. 

Na maior parte dos casos, ser-lhe-á proposto um kit portátil concebido especialmente para viagens aéreas (Wenoll WS120). Esse sistema funciona “a pedido” (contrariamente aos sistemas “de fluxo contínuo”). A reduzida quantidade aparente do equipamento (600 litros) permite efectuar os voos de longo curso com toda a segurança. Esses kits apenas podem ser utilizados a bordo do avião. Se não necessitar de mais de 2 litros de oxigénio por minuto, não será exigido qualquer certificado médico para dispor desse equipamento. Caso contrário, ser-lhe-á proposta uma alternativa, caso exista. Ser-lhe-á então solicitado um certificado médico.

Concentradores Autorizados na AIR FRANCE:

  • AirSep FreeStyle
  • AirSep LifeStyle
  • AirSep Focus
  • AirSep FreeStyle 5
  • Delphi RS–00400
  • DeVilbiss Healthcare iGo
  • Inogen One
  • Inogen One G2
  • Inogen One G3
  • Inova Labs LifeChoice
  • Inova Labs LifeChoice Activox
  • International Biophysics LifeChoice
  • Invacare XPO2
  • Invacare Solo2
  • Oxlife Independence Oxygen Concentrator
  • Oxus RS–00400
  • Precision Medical EasyPulse
  • Respironics EverGo
  • Respironics SimplyGo
  • SeQual Eclipse
  • SeQual eQuinox Oxygen System (model 4000)
  • SeQual Oxywell Oxygen System (model 4000)
  • SeQual SAROS
  • VBOX Trooper Portable Oxygen Concentrator units

A utilização destes aparelhos é possível durante todo o voo. No entanto, os aviões operados pela Air France não dispõem de tomadas eléctricas que permitam ligar aparelhos respiratórios a bordo. Recomenda-se portanto que verifique a autonomia do seu aparelho e, se for caso disso, que leve baterias adicionais. A quantidade de baterias de lítio pode ser limitada pelo que recomendamos que se informe aquando da sua reserva.

A Air Nostrum não permite que leve o seu próprio mecanismo fornecedor de oxigénio a bordo do aparelho, mas pode adquirir serviço de oxigénio com um custo adicional de 180 euros. A empresa fornece oxigénio a taxas de fluxo de 2, 4 e 8 litros por minuto.

A Iberia deverá ser contactada pelo menos 48 horas antes da partida para reservar este serviço. Um atestado confirmando que o oxigénio é necessário por razões médicas deve ser apresentado no check-in.

Não é permitido utilizar nem transportar oxigénio em nenhum voo.

A Air Europa não fornece oxigénio a bordo dos aviões e não permite o uso de cilindros de oxigénio. No entanto, permite que use o seu próprio concentrador portátil a bordo sem nenhum custo extra. Por favor avise no momento da reserva ou pelo menos 48 horas antes do seu voo.

Modelos aceites:

  • AirSep FreeStyle
  • AirSep LifeStyle
  • Delphi RS-00400
  • Inogen One
  • Invacare XPO2
  • Respironics EverGo
  • SeQual Eclipse.
O Formulário MEDIF (validade de 30 dias) é fornecido pela Azul para que os clientes garantam o preenchimento e a assinatura do médico pessoal do passageiro antes de reservar a passagem. O envio à AZUL deve ser feito em até 72 horas úteis antes do voo por e-mail ou fax. O documento médico e o MEDIF serão avaliados pelo serviço médico da Azul, especializado em medicina de aviação, com prazo para resposta de 48 horas.  No caso de as exigências da Azul não serem atendidas, o transporte do passageiro pode ser recusado.
A AZUL não atende solicitação de uso de oxigénio (cilindros portáteis de oxigénio líquido ou pressurizado) a bordo de suas aeronaves (ATR, Embraer – EJet  e Airbus) em razão de inexistência de certificação das aeronaves para esse serviço, além de questões de segurança operacional.
A empresa aguarda a definição de normas brasileiras sobre o uso de concentradores portáteis de oxigénio.

A British Airways apenas pode fornecer oxigénio suplementar a um passageiro por voo, pelo que a disponibilidade pode ser restrita. O formulário de informação médica deve ser preenchido por si e pelo seu médico antes de poder ser aceite a bordo. A companhia não pode fornecer este tipo de oxigénio em terra, em nenhum aeroporto.

Foi introduzido o cilindro Pulse Dose da Avia Technique a bordo dos aviões A380 e B787. O dispositivo Pulse Dose utiliza menos oxigénio, pois este só é fornecido se ‘solicitado’. Certifique-se que o seu médico preenche a Parte 2 do formulário MEDIF confirmando que pode utilizar o sistema de oxigénio por impulsos.

A companhia não pode formecer oxigénio médico para uso de rotina a bordo. É permitido o transporte de seu próprio oxigénio para uso médico pessoal, na forma de: Pequenas botijas de oxigénio; Pequenas botijas de ar comprimido; Concentrador de oxigénio que funcionem com bateria.

Concentradores de oxigénio são permitidos a bordo e a certificação médica não é necessária. A bateria terá que ter duração suficiente para o tempo total da viagem, incluindo possíveis atrasos.

As botijas não deverão ser maiores que 50 cm de comprimento e 25 cm de diâmetro. Só é permitido um máximo de duas botijas por passageiro, desde que possam ser armazenadas por baixo do assento da frente ou no compartimento do teto.

Um certificado médico a confirmar que é necessário oxigénio por motivos médicos e que se encontra apto para viajar devem ser apresentados no balcão de entrega de bagagem.

Os inaladores para tratamento de DPOC e/ou Asma são permitidos a bordo.

A Euroatlantic não fornece Oxigénio para uso médico a bordo. No entanto, permite que transporte a sua botija ou concentrador.

É necessário autorização médica, sendo que a empresa deve ser contactada na altura da reserva.

A companhia apenas pode fornecer a bordo uma quantidade limitada extra de oxigénio. Deverá contatar os SERVIÇOS MÉDICOS da Lufthansa através do telefone  49 (0)69 – 696-55077 até 48 horas antes da partida para assegurar que há oxigénio disponível suficiente a bordo.

Deve ter em consideração que os custos de fornecimento de oxigénio têm de ser pagos, como extra. Recomendamos assim que contate a seguradora onde tem o seu seguro de saúde para se informar sobre o reembolso destes custos. Além disso, terá de ser examinado por um médico antes do voo para avaliar se está em condições de voar.

Sob pedido à Serviberia ou à Central de Reservas da Iberia em Portugal, a companhia pode fornecer oxigénio para a sua utilização a bordo, de forma gratuita. Também sob pedido prévio, e uma vez comprovado que o aparelho reúne as características de segurança necessárias, poderá utilizar o seu próprio concentrador de oxigénio.

A KLM permite o uso de concentrador de oxigénio a bordo dos seus aviões, nas seguintes condições:

a) o dispositivo deve ter bateria

b) o dispositivo deve ser aprovado pela FAA

A KLM não requer quaisquer formulários médicos para o uso do concentrador, mas tem que ser informada previamente da sua necessidade em utilizar este aparelho.

É possível utilizar botijas de oxigénio cedidas pela companhia – custo aproximado de 150 euros por trajeto. Os concentradores de oxigénio fornecidos pelo passageiro não têm custos. O pedido deverá ser efectuado com uma antecedência mínima de 5 dias antes da data do voo.

Por razões de segurança, a Ryanair não permite que os passageiros transportem o seu próprio oxigénio a bordo.

Se um passageiro necessitar de utilizar oxigénio terapêutico durante o voo, deve notificar a Linha de Assistência Especial da Ryanair, de preferência no mesmo dia da reserva do voo ou, o mais tardar, até 7 dias antes da viagem, pois existem limites estabelecidos para este serviço. Após esta notificação, o passageiro receberá um FORMULÁRIO DE AUTORIZAÇÃO MÉDICA – OXIGÉNIO TERAPÊUTICO DA RYANAIR que terá de preencher e devolver.

A Ryanair fornece oxigénio terapêutico com um fluxo contínuo de 2 litros por minuto durante uma duração máxima de 250 minutos. A Ryanair não pode aceitar passageiros que necessitem de um fornecimento contínuo de oxigénio durante um tempo superior ao tempo máximo indicado acima.

Se desejar transportar um concentrador portátil, contate a Linha de Assistência Especial para obter aprovação prévia. A Ryanair oferece um serviço para aluguer de um concentrador durante toda a viagem, incluindo períodos entre a viagem inicial e a de regresso.

É possível a companhia fornecer oxigénio, com um custo extra, devendo contatar a empresa imediatamente após a reserva.

Na Transavia tem duas opções:

  • Traz o seu concentrador portátil

Você pode solicitar esta até 72 horas antes da partida do seu voo. Não há nenhuma taxa para este serviço. O aparelho tem que estar certificado pela FAA.

Deve ter bateria para a viagem toda, e é necessário um documento médico em inglês, a explicar o motivo o uso do aparelho.

  • Utiliza o serviço de Oxigénio da empresa

Você pode solicitar este serviço até 72 horas antes da partida do seu voo. A taxa é de €75 por garrafa, de cerca de 400 litros. Para isso deve ligar para o Centro de Apoio ao Cliente da empresa.

No entanto, apenas está disponível nas rotas para Roterdão, Eindhoven e Amsterdão.

Também vai necessitar de um documento médico escrito em inglês: deve estar indicado o número necessário de litros de oxigénio por minuto. A carta também deve indicar se o fluxo é continuo ou pulsado. A declaração médica deve ser emitida em data não superior a 7 dias da partida do seu voo.

A companhia aérea  não permite que traga o seu próprio oxigénio a bordo, mas pode fornece-lo gratuitamente.

Este serviço deve ser reservado ao efetuar uma reserva. Deve ter uma declaração médica explicando o motivo e o número de litros de O2 que necessita.

A United permite que os passageiros possam levar o seu concentrador de oxigénio em todos os voos.

Não fornece serviço próprio de Oxigénio.

Os passageiros não têm permissão para transportar sua própria garrafa de oxigénio a bordo. Os passageiros devem contactar a companhia aérea com mais de 48 horas de antecedência, solicitando o serviço de oxigénio.

Os passageiros devem contactar com a Vueling antes da reserva, pois este serviço não está disponível em todos os aeroportos.