O que fazer?

Controlar, Controlar e Controlar!

Infelizmente não existe atualmente qualquer tratamento que cure e elimine para sempre a doença. Algumas pessoas irão sentir dificuldades e uma sensação de impotência e incapacidade durante alguns períodos da sua vida, o que pode complicar a sua vida pessoal e profissional, no entanto, também é verdade que muitas conseguirão prosseguir de uma forma relativamente normal, principalmente se cumprirem com o tratamento todos os dias.

pulmão como órgão não é perfeito e também tem as suas falhas. Por exemplo, ao contrário de muitos outros tecidos do corpo humano, os pulmões deixam entre os 18 e 20 anos de conseguir regenerar-se quando sofrem uma lesão. Isto é preocupante se existirem perdas de alvéolos extra por maus hábitos ou situações profissionais.

Como não é possível curar a doença, o seu médico tem a função impedir que qualquer fonte extra de destruição dos pequenos alvéolos continue a acontecer, por exemplo, promovendo a evicção de factores de risco, tal como a exposição ao fumo dos cigarros ou à poluição ambiental, oriunda de carros, fábricas e outras.

.

.

Também importante é a instituição de um tratamento diário, que se designa de medicação de controlo, cujo objetivo é controlar e limitar os sintomas que mais o incomodam e evitar novas agudizações.

O seu médico poderá prescrever-lhe medicamentos, principalmente em formato próprio para serem inalados, que têm o objetivo de melhorar ou controlar os seus sintomas, como a falta de ar ou a pieira. Para além disso, podem ainda ajudar a diminuir o número de exacerbações e abrandar o agravamento da função pulmonar.

Em alguns casos, pode ser necessário que faça Oxigénio em casa, utilize um ventilador que o ajude a respirar, iniciar um programa de Reabilitação Respiratória ou, em casos muito raros, será ponderado a realização de um Transplante Pulmonar.