O ambiente

O Meio Ambiente como fator de risco

 

Podemos ter muitas coisas menos positivas em Portugal, mas não nos podemos queixar das nossas maravilhas naturais e da qualidade do nosso meio ambiente. Sejam as praias, as florestas, os campos ou as nossas serras, tenho a certeza de que não há muitos países que se possam gabar de ter paisagens tão bonitas como as nossas e que tenham um ar respirável como o nosso. Mesmo as nossas grandes cidades, Lisboa e Porto, não apresentam os níveis de poluição de grandes megacidades como Londres ou Pequim, onde é comum vermos as pessoas na rua com máscaras para as protegerem das partículas que estão dispersas no ar pelo vento.

De qualquer modo, devemos estar atentos para alguns locais específicos, principalmente em zonas muito industrializadas, mas também estarmos alerta para alguns dos perigos que podem morar nas nossas próprias casas. Pode não se aperceber, mas às vezes o risco está no sitio onde mora e que é o seu porto de abrigo, onde julga estar seguro e protegido.

A qualidade do ar, dentro e fora de casa, pode ter um papel relevante no risco de desenvolver DPOC. Seja em casa ou no trabalho, existem partículas, gases ou fumos que podem irritar os pulmões e dificultar a sua respiração. Anos e anos com estas agressões continuas desencadeiam processos inflamatórios crónicos nas vias aéreas, que vão estimular a cicatrização excessiva, conduzindo a estreitamento dos brônquios e à destruição dos alvéolos. Ou seja, é como se estendesse uma passadeira vermelha ao desenvolvimento da DPOC.

Alguns dos perigos podem ser evitados enquanto outros são mais difíceis de contornar, mas deixo alguns conselhos e cuidados que podem suavizar este risco e ajudar a que consiga evitar ficar doente.

 

Em casa

Verifique se a sua casa é amiga dos seus pulmões: procure e elimine o mofo – está na altura de fazer uma inspeção e uma limpeza geral! Se for muito cansativo ou um processo muito longo, pode dividir essa tarefa por vários dias, uma divisão de cada vez. Certifique-se que elimina completamente o pó e outras poeiras.

É essencial que todas as divisões tenham uma boa ventilação, permitindo a circulação rápida do ar e evitando a acumulação das poeiras e fumos. Isto é particularmente importante quando estiver a cozinhar ou para ajudar a eliminar as poeiras que entrarem para dentro das divisões da sua casa. Isto não ajuda apena a melhorar o controlo da DPOC, mas também a permitir a manutenção da sua saúde no seu todo.

Muitos doentes perguntam hoje sobre a utilização de um filtrador do ar em casa. Se não sabe o que é, são aqueles pequenos aparelhos que filtram e purificam o ar da sala onde estão colocados. Não existem muitos dados objetivos para eu comentar ou mesmo recomendar que o compre, apesar de que alguns médicos e artigos referirem que podem ajudar a melhorar a qualidade do ar em casa. Algumas destas máquinas têm filtros que removem poeiras, areias e inclusive o fumo do tabaco. No entanto, estes filtros têm que ser trocados frequentemente e até agora não está provado que diminuam as exacerbações da DPOC. Neste caso, fica ao seu critério.

Deve também evitar cozinhar as suas refeições com recurso a um fogo de lenha ou usar qualquer aquecimento com combustível, uma vez que os fumos que emanam são um tiro certeiro para provocar uma exacerbação. Deve existir sempre uma boa ventilação nessas divisões, sejam janelas ou exaustores, para ajudar a dispersar todo o fumo.

 

Fora de casa

E no exterior, seja na rua ou no trabalho, também deve de ter algum cuidado: A poluição urbana, industrial e os fumos dos tubos de escape dos carros são fatores de risco conhecidos para se desenvolver a DPOC, principalmente se a exposição for crónica. Se prevê que vai estar em contato com ar muito poluído ou perto de uma zona muito industrial pode utilizar uma máscara protetora. Isto é obrigatório se trabalhar em empresas do ramo da construção civil, pedreiras, fundições, etc.

E tenha atenção nos dias das festas da aldeia, que são momentos de festa e convívio, mas podem acabar com uma explosão de cansaço e falta de ar. Existem várias pessoas que costumam referir agravamento dos sintomas da DPOC se exposta aos fumos do fogo de artifício. Não podemos dizer para ficar fechado em casa toda a vida, mas com algum resguardo e cuidado, poderá evitar o desenvolvimento da DPOC, ou caso já seja portador da doença, impedir que tenha agudizações repetidas.