Os vários dispositivos

Inaladores

 

Atualmente existem no mercado vários tipos diferentes de inaladores e brevemente serão ainda mais. Cada inalador tem particularidades próprias de utilização que devem ser rigorosamente cumpridas para se obter uma maior eficácia. Podem conter um ou dois fármacos, de grupos diferentes, de acordo com as necessidades determinadas pelo seu médico.

É comum, principalmente nos primeiros dias, ocorrerem dificuldades no seu uso, seja por ser uma novidade, seja por já estar habituado a um inalador diferente. O importante é estar atento quando lhe ensinarem a usa-lo, pedir ajuda se tiver dúvidas ou deve recorrer ao nosso site para aprofundar conhecimento. Em outra secção explicamos como usar cada inalador.

Neste capitulo contamos com a colaboração da Dra. Vânia Fernandes e da Enfermeira Carmo Cordeiro.

Os inaladores agrupam-se em três grupos principais:

  • Inaladores pressurizados (as ditas “ bombinhas” na gíria popular) – pMDI
  • Inaladores de pó seco – DPI
  • Inalador de névoa suave (cujo único dispositivo disponível no mercado é o Respimat)

Os inaladores pressurizados contêm o medicamento em estado líquido e após ativação manual este é distribuído como um spray de aerossol.

O inalador de pó seco liberta o fármaco através uma nuvem de pó seco em vez do spray. Já o inalador Respimat é um tipo de dispositivo mais recente que fornece o medicamento em névoa,  a uma velocidade mais baixa, ajudando a que exista uma melhor sincronia mão-boca.

Os dispositivos pressurizados podem ser adaptados a uma câmara expansora, sendo utilizados como medicação de controlo ou de alívio/SOS. Por sua vez, tanto os inaladores de pó seco como os de névoa suave são utilizados maioritariamente como controlo.

Discutiremos melhor cada tipo e as suas particularidades durante o seu uso noutras secções do DPOC.PT.

O inalador ideal

O inalador perfeito é aquele que a pessoa se acostumar facilmente a realizar sem falhas e com um controlo exemplar da DPOC.

De qualquer modo, é desejável que o inalador seja pouco dispendioso, de uso fácil, cuja aprendizagem seja rápida e universal a todas as idades. As partículas do medicamento devem ser pequenas de modo a não ficarem retidas na boca, no entanto, é importante que não sejam pequenas demais, uma vez que assim deixam de atuar no local necessário.

Muitas pessoas com DPOC têm dificuldade em gerar o fluxo inspiratório necessário para fazer a inalação, pelo que o inalador perfeito deve ter boa deposição pulmonar independentemente da eficácia inspiratória da pessoa. É igualmente importante que a resistência intrínseca ao aparelho não seja elevada – o que dificultaria a saída do produto do inalador.

Os especialistas aconselham ainda a opção por dispositivos sem partes destacáveis e em que seja pouco provável que a pessoa realize uma dose repetida involuntariamente.

.

Porque tenho que aprender a fazer corretamente os inaladores?

Estes medicamentos para serem eficazes e cumprirem o seu objetivo têm que ser corretamente utilizados. A sua técnica nem sempre é simples e, com o tempo, há uma tendência para adquirir vícios de utilização.

Estes mau hábitos são combatidos com uma revisão regular da técnica, tanto na consulta com o seu médico ou enfermeiro, como através da leitura destas indicações ou a observar vídeos demonstrativos.

.

Se não fizer os inaladores o que pode acontecer?

No início poderá até não sentir nada, mas com o tempo irá sentir-se mais cansado e com maior dificuldade em respirar. Isto porque já não está a controlar de modo eficaz a DPOC.

Então, se deixar de realizar o tratamento poderá existir um agravamento mais ou menos súbito da sua DPOC, conhecido por exacerbaçãoEsta agudização pode implicar a necessidade de mais medicação temporariamente (nomeadamente corticóides em comprimido e antibióticos) e, em casos mais graves, obrigar ao internamento hospitalar.

As exacerbações, mesmo após serem resolvidas, estão associadas a um agravamento da sua função pulmonar e a um maior risco de existir uma nova agudização da DPOC.

.

Técnica inalatória geral

É fundamental cumprir rigorosamente os passos da técnica de inalação, uma vez que a deposição do medicamento inalado no pulmão está dependente da sua execução correta. Só assim o tratamento terá o efeito desejado.

Os passos base da técnica de inalação são iguais para todos os inaladores e resumem-se a três passos simples, podendo haver lugar a pequenos ajustes para se adequar a cada dispositivo.

Não se esqueça que deve realizar o inalador na posição sentada ou em pé, nunca quando estiver deitado.